quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

Aguinaldo terá coragem de encarar uma disputa pelo governo?



(Professor Jônatas Frazão)

O presidente estadual do Partido Progressista, ex-deputado federal Enivaldo Ribeiro, disse esta semana que até a próxima segunda-feira o PP deverá anunciar o nome de seu postulante ao Governo do Estado. Enivaldo já disse, anteriormente, que o filho, Ministro das Cidades Aguinaldo Ribeiro, será candidato a deputado federal, mesmo com pressões em contrário de aliados, que defendem sua candidatura a governador.


A verdade é que o nome do PP é Aguinaldo Ribeiro. Ao formar o ‘blocão’ com PT e PSC, Aguinaldo, o grande comandante do bloco, propôs que os partidos lançassem um nome único, para a disputa pelo Governo do Estado, ainda em 2013. Depois a estratégia mudou: cada partido lançaria o seu nome até o final de 2013 e, em janeiro deste ano, haveria a decisão, optando pelo nome que tivesse maior densidade eleitoral, ou seja: mais votos.

O PP estimulou, o PT anunciou Nadja Palitot e o PSC Leonardo Gadelha. Mas o PP manteve-se em silêncio, em que pese todo mundo pedir para que Aguinaldo seja o nome do partido. Há quem garanta que até a presidente Dilma Rousseff teria conversado com ele, estimulando-o a ser candidato. Então, porque Aguinaldo resiste tanto?

O grande comandante do blocão, Aguinaldo Ribeiro, marcou para o dia 20 de dezembro o anúncio do pré-candidato do partido ao Governo do Estado. PT e PSC anunciaram antes, o dia 20 chegou e o PP não se mexeu. Depois, jogou o anúncio para a primeira quinzena de janeiro. Nada. Agora joga para segunda-feira. Será mesmo?

O que sei é que, no início de dezembro do ano passado, Aguinaldo contratou uma pesquisa de opinião para atestar o poderio de seu nome junto ao eleitorado paraibano. Vi esta informação na coluna do sempre bem informado jornalista Heron Cid. O curioso é que havia, na mídia, um clima favorável a Aguinaldo e, uma semana depois da informação publicada por Heron, os ‘estímulos’ desapareceram. E os números da pesquisa nunca foram publicados.

Uma pena, pois acho o nome de Aguinaldo com peso suficiente para encarar a disputa. Até porque ele nem tem o que perder, já que obteve da presidente Dilma a garantia de que, caso não tenha sucesso numa eventual disputa pelo Governo do Estado, seu posto de Ministro das Cidades estaria garantido, em nome da boa relação política do Palácio do Planalto com o PP. Isso, claro, em caso de reeleição da presidente.

Será que Aguinaldo Ribeiro não confia no próprio taco? A sua pré-candidatura, encenada por uns e desmentida por outros, seria um blefe? Vou mais além: como o PP faz o jogo duplo, apoiando o PT de Dilma em Brasília e o PSDB de Romero em Campina Grande, teria Aguinaldo coragem de ‘peitar’ os tucanos na Paraíba em nome de um projeto nacional do Partido dos Trabalhadores de reeleger Dilma?

Ser ou não ser. Eis a questão do PP.

*professor aposentado da UFPB. Este comentário também está publicado no meu Facebook

Nenhum comentário:

Postar um comentário