sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Moradores de pequenas cidades da Paraíba se preparam para estudar cinema no Rio de Janeiro

Vinte moradores de municípios com até 20 mil habitantes de vários estados do Brasil foram selecionados pela quinta edição do Concurso Nacional de Histórias do Revelando os Brasis. Agora, eles vão aprender como transformar o que contaram em filme de curta-metragem

Dez professores, três jornalistas, dois produtores rurais, uma pedreira, um vendedor, uma estudante, um sociólogo e um ferroviário aposentado dividirão a sala de aula para aprender a dirigir uma obra audiovisual. A turma selecionada pelo Concurso Nacional de Histórias do Revelando os Brasis – Ano V está de malas prontas para participar das Oficinas de Formação e Realização Audiovisual, no Centro Cultural da Universidade do Rio de Janeiro, no Campus Maracanã, no Rio de Janeiro, entre os dias 09 e 23 de fevereiro, com todas as despesas pagas. O grupo formado por moradores de pequenas cidades com até 20 mil habitantes estudarão todas as etapas de uma produção audiovisual. Acompanhe notícias do projeto através do site www.revelandoosbrasis.com.br.

O curso é composto por aulas de introdução à linguagem audiovisual, roteiro, direção, produção, fotografia, direção de arte, som, edição e finalização, pesquisa, mobilização, direitos autorais e comunicação colaborativa. Após as oficinas, os selecionados retornarão as suas cidades para transformar as histórias reais ou inventadas em filmes com até 15 minutos de duração. Nessa fase, eles contarão com o apoio de uma produtora regional que irá providenciar os equipamentos de câmera e de som digitais, com operadores.

O Revelando os Brasis é realizado pelo Instituto Marlin Azul com patrocínio da Petrobras através da Lei Rouanet.

Com maior número de inscritos entre todas as edições, o quinto concurso de histórias do projeto recebeu 951 inscrições. Todas as cinco regiões brasileiras tiveram representantes selecionados: Nordeste (08), Sudeste (05), Sul (03), Norte (03) e Centro-Oeste (01). Quinze estados têm histórias escolhidas: Ceará (03), Paraná (01), Espírito Santo (02), Paraíba (02), Bahia (01), Rio Grande do Sul (01), Pará (01), Minas Gerais (01), Tocantins (01), Rondônia (01), Santa Catarina (01), Mato Grosso do Sul (01), Maranhão (01), Rio Grande do Norte (01) e São Paulo (02). A turma de selecionados é composta por dez homens e dez mulheres com idade entre 18 e 70 anos.

A quinta edição selecionou histórias vindas das seguintes cidades: Barra de Santa Rosa e Aparecida (Paraíba), Arroio do Sal (Rio Grande do Sul), Palmeiras (Bahia), Meruoca, Aiuaba e Uruburetama (Ceará), Arraias (Tocantins), Douradina (Paraná), Tabapuã e Corumbataí (São Paulo), Candeias do Jamari (Rondônia), Irineópolis (Santa Catarina), Águia Branca e Vargem Alta (Espírito Santo), Brazópolis (Minas Gerais), São Domingos do Azeitão (Maranhão), Santarém Novo (Pará), Ladário (Mato Grosso do Sul) e Lajes (Rio Grande do Norte).

De acordo com o levantamento de 2010 do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o Brasil possui 5.565 municípios, dos quais 3.923 têm até 20 mil habitantes.

Os filmes – Nas quatro primeiras edições do projeto, entre 2004 e 2013, foram produzidas 160 obras, entre ficções, documentários e uma animação. Os filmes foram apresentados nas comunidades e nas capitais, através do Circuito Nacional de Exibição Revelando os Brasis, que promove sessões de cinema em praças e ruas dos municípios. As produções também são exibidas em um programa de TV realizado em parceria com o Canal Futura. Na fase seguinte, os filmes do projeto são lançados em DVD com distribuição gratuita entre organizações sociais e culturais, bibliotecas, universidades e cineclubes de todo o Brasil.

O Revelando os Brasis promove a democratização do acesso aos meios de produção audiovisual, oferecendo aos moradores das pequenas cidades a possibilidade de contar suas próprias histórias através do cinema. O projeto é um instrumento de registro da memória e da diversidade cultural do país e revela novos olhares sobre o Brasil.

Números do Revelando os Brasis

• 951 inscrições recebidas na quinta edição;
• 166 inscrições de moradores de Minas Gerais, estado com maior número de inscritos;
• 342 histórias vindas do Nordeste, região com maior número de participantes nesta quinta edição;
• 3.452 inscrições foram contabilizadas em todas as edições do concurso;
• 160 obras, entre documentários, ficções e animação, foram produzidas em quatro edições;
• 240 sessões de cinema foram realizadas nas cidades e capitais dos estados durante as quatro edições do Circuito de Exibição;
• cerca de 100 mil espectadores acompanharam as sessões do Circuito de Exibição.

Saiba mais - O Instituto Marlin Azul é uma entidade sem fins lucrativos. Criada há 14 anos, a instituição promove ações comprometidas com a cultura, a arte e a educação através da democratização do acesso aos bens culturais audiovisuais. Em parceria com órgãos públicos, instituições sociais e organizações privadas, o Instituto desenvolve projetos de formação, produção e difusão audiovisual para todos os públicos.

Os autores e as histórias selecionadas

Nome: Alcinéia Marcucci
História: A Mãe dos Vaga-Lumes
Cidade/Estado: Corumbataí/ São Paulo

NomeAlexsandra Silva Oliveira Buriti
HistóriaSonho Novo
Cidade/EstadoBarra de Santa Rosa/Paraíba

Nome: Ana Beatriz Barbosa Ferreira
História: Lavadeiras do Arroio do Sal
Cidade/EstadoArroio do Sal/Rio Grande do Sul

Nome: Ana Paula Rocha de Souza
História: Afogados
Cidade/Estado: Palmeiras/Bahia

Nome: Augusto César dos Santos
HistóriaSobrou pra Nós
Cidade/Estado: Meruoca/Ceará

Nome: Benedita Benilda de Sousa
História: História de Aiuaba
Cidade/EstadoAiuaba/Ceará

Nome: Carlúcia de Melo Soares
História: Mulher Guerreira
Cidade/Estado: Arraias/Tocantins

Nome: Fabiano Silva Ferreira
História: Dona Ginu: A Maior Contadora de Estórias de Uruburetama
Cidade/Estado: Uruburetama/Ceará

Nome: Geraldo Antonio Bellinelo
História: Japurá - O Povo que Virou Açúcar
Cidade/Estado: Tabapuã/São Paulo

Nome: Joelma Silva Ferreira
História: A Troca
Cidade/Estado: Candeias do Jamari/Rondônia

NomeJosé Sebastião Cocharski
História: Recomendação das Almas
Cidade/Estado: Irineópolis/Santa Catarina

Nome: Luciano Guimarães de Freitas
História: Vida, Saudosas Lembranças...
Cidade/Estado: Águia Branca/Espírito Santo

Nome: Luzia de Queiroz Cassiano
História: Lúcia: Uma História para Ler, Refletir e Contar
Cidade/Estado: Douradina/Paraná

Nome: Mikaely de Sousa Batista
História: Quando Batem as Seis Horas
Cidade/Estado: Aparecida/Paraíba

NomePedro Dias Teixeira
História: Mistérios no Japão
Cidade/EstadoBrazópolis/Minas Gerais

Nome: Reinaldo Moraes Guimarães
História: As Benzedeiras do Azeitão
Cidade/Estado: São Domingos do Azeitão/Maranhão

Nome: Renata Loureiro da Silva
História: Os Sonâmbulos
Cidade/Estado: Santarém Novo/Pará

Nome: Sebastião de Souza Brandão
História: Nos Trilhos do Trem Fantasma
Cidade/Estado: Ladário/Mato Grosso do Sul

Nome: Tárcio Araújo
História: Aboio: A Poesia do Vaqueiro, o Lamento das Caatingas
Cidade/Estado: Lajes/Rio Grande do Norte

Nome: Victorhugo Passabon Amorim
HistóriaVinillis Frutiferis
Cidade/Estado: Vargem Alta/Espírito Santo


A Equipe de Professores

A equipe de professores do Revelando os Brasis Ano V é formada por profissionais das áreas de cinema, televisão, jornalismo e história.

Alex Araripe – Formado em Cinema pela Universidade Federal Fluminense, ministrou aulas de fotografia e iluminação no curso da Universidade Estácio de Sá até 2009. Trabalha para várias produtoras do Rio de Janeiro, atua como fotógrafo freelance nas áreas de TV, publicidade e ficção.

Alexandre Guerreiro – É doutorando em Comunicação na UFF e Mestre em Comunicação desde 2008, também pela UFF.  Bacharel e Licenciado em História pela UERJ e Bacharel em Cinema pela UFF. Atualmente, é professor docente I na Secretaria de Educação do Estado do Rio de Janeiro e professor substituto de Roteiro Cinematográfico no Departamento de Cinema e Vídeo da UFF.  Produtor Executivo no CINEDUC - CINEMA E EDUCAÇÃO, é também produtor, diretor e roteirista de obras audiovisuais e produtor e curador de mostras e festivais. 

Ana Paula Cardoso – Formada em Cenografia pela Escola de Belas Artes(UFRJ), é responsável pela direção de arte e cenografia de oito longas-metragens, dentre eles, “Casa Grande” de Fellipe Barbosa, “Aspirantes” de Ives Rosenfeld, “Avanti Popolo” de Michael Wahrmann, e a cenografia do “Desenrola”, de Rosane Svartman. Fez a direção de arte de mais de 15 curtas-metragens, entre eles “O resto é silêncio”, “Maria, Ana Maria, Mariana”, “Retrato de um Artista com um 38 na mão”, todos dirigidos por Paulo Halm, e o recente “Com os Pés na Cabeça” dirigido por Tiago Scorza. Trabalha também como diretora de arte em publicidade e TV.

Beth Formaggini – Documentarista, pesquisadora e produtora audiovisual. Dirigiu: “Angeli 24h” (2010) 16 com prêmios em festivais; “Cidades Invisíveis” (2009); “Coutinho.doc – Apto 608” (2008); “Memória para Uso Diário” (2007), Melhor Filme eleito pelo Júri Popular do Festival do Rio BR; “Nobreza Popular” (2003); “Walter.doc - O Tempo é sempre Presente” (2000) - com Luís Felipe Sá; “Vida de Criança” (1998); “Pontos de Vista” (1995); “Touche Pas à Mon Pote” (1987) - Codireção, com Henri Gervaiseau, do videoclipe de Gilberto Gil.  Produziu os longas: “Paixão e Virtude” (2013) e “Djalioh” (2012) de Ricardo Miranda; “Paralelo 10” (2012), de Silvio Da-Rin; “A Etnografia da Amizade” (2007), de Ricardo Miranda; “Novela na Santa Casa” (2006), de Cathie Levy; “Em Trânsito” (2005), de Henri Gervaiseau; “Bendito Fruto” (2004), de Sérgio Goldemberg; “Joaquim.doc” (2003), de Mário Carneiro; “Peões” (2003), “Edifício Master” (2001) e “Babilônia 2000” (2000), de Eduardo Coutinho; e “Medias: Garrincha Ucellino di Dio” (2001), de Paulo César Sarraceni; “A Terra Prometida” (1997), de Henri Gervaiseau; e séries “A Linguagem do Cinema” (1999), de Geraldo Sarno; “Chatô, Rei do Brasil” (1996), de Walter Lima Jr.

Juarez Pavelak – Diretor de Fotografia. Cursou Cinema na Universidade Estácio de Sá. Atuou como fotógrafo still por mais de dez anos, foi assistente de câmera e trabalhou em documentários e ficções, passando por videoclipes, comerciais e institucionais, curtas e longas-metragens e programas de TV, misturando a experiência com película e os estudos e a prática com as tecnologias digitais. Ganhou prêmios de fotografia no Brasil e no exterior.

Paulo Halm - Formado em Cinema pela Universidade Federal Fluminense, é diretor e roteirista de cinema e TV. Escreveu, entre outros, os roteiros de filmes como “Dois Perdidos Numa Noite Suja”, “Achados e Perdidos”, “Olhos Azuis”, de José Joffily, “Pequeno Dicionário Amoroso”, “Amores Possíveis”, “Sonhos Roubados”, de Sandra Werneck, “Casa da Mãe Joana 1 e 2” de Hugo Carvana. Em televisão, é o autor da próxima temporada de Malhação, que estreia em julho. Como diretor, além de vários curtas e medias-metragens premiados, dirigiu “Histórias de Amor Duram Apenas 90 Minutos” e o documentário de longa-metragem “Hijab, Mulheres de Véu”. 

Luelane Loiola – Formada em Cinema pela Universidade Federal Fluminense. Dirigiu os documentários “Como se Morre no Cinema”, “Sol de Oro no Festival de Biarritz” (vencedor de 11 prêmios nacionais), “A Cidade e o Poeta”, “Machado de Assis” e “Rio, 39,6 Graus”. Montadora e assistente de direção, trabalhou com Nelson Pereira dos Santos desde o filme “Memórias do Cárcere”. Assina a montagem de “A Música segundo Tom Jobim”. É diretora assistente nos filmes de Hugo Carvana, com quem trabalha desde “O Homem Nu”. Recebeu prêmio de Melhor Montagem pelos filmes “Áurea”, de Zeca Ferreira, “O Quinze”, de Jurandir Oliveira e “Rio de Memórias”, de José Inácio Parente.https://mail.google.com/mail/u/0/images/cleardot.gif

Vanessa Jardim - Gerente de Produção do Canal Futura. Publicitária e radialista. Trabalhou como assistente de produção do núcleo de dramaturgia da TV Bandeirantes. Foi coordenadora de produção no núcleo de aberturas e vinhetas da TV Manchete. Atuou como coordenadora de programas na TV Globo, participando de produções de Novelas (“Vamp”, “Perigosas Peruas”, “De Corpo e Alma”), Minisséries (“Agosto”, “Sex Appeal”, “Labirinto”), Especiais (“Som Brasil”, “Você Decide”). Participou da coordenação de produção de especiais semanais de adaptações da literatura brasileira para a TV, além de ter realizado todos os programas da série “Comédia da Vida Privada” e da série “Vida ao Vivo”. Realizou também produção de elenco de alguns longas-metragens (“O Que é Isso Companheiro”, “O Dia da Caça”, “Xangô”, “As Aventuras de Zico”). Produziu a série “A Turma do Didi” e “Domingão do Faustão”. No Canal Futura produziu a série “Futura na Sala de Aula” e “Vestibular”. É produtora executiva do Canal Futura, na FRM e exerce a função de gerente de produção do Canal Futura

Virginia Flôres - Iniciou no cinema em 1974 como continuísta e assistente de direção. Hoje é montadora e editora de som. Fez especialização de Edição de Som no National Film Board em 1988. Tem em sua filmografia de editora de som, filmes como “Eu Sei que Vou Te Amar”, “O Quatrilho”, “Carlota Joaquina”, “A Cor do Seu Destino”, “Ele o Boto”, “Tieta do Agreste”, “Baile Perfumado”, “Menino Maluquinho (I e II)”, “Santo Forte”, “Villa-Lobos”, “O Toque do Oboé”, “Separações”, “Dias de Nietzche em Turim”, “Cleópatra”, “Nome Próprio”, “Árido Movie”, “A Erva do Rato”, “Não se Pode Viver Sem Amor”, “A Alegria”, “Noites de Reis”, “Vendo ou Alugo”.

Serviço

Oficinas de Formação e Realização Audiovisual Revelando os Brasis Ano V
Dia 9 de fevereiro – Chegada dos Selecionados
De 10 a 22 de fevereiro – Oficinas no Centro Cultural da Universidade do Rio de Janeiro – Campus Maracanã, das 9h às 12h e das 14h às 18h
Dia 23 de fevereiro - Retorno dos Selecionados

Nenhum comentário:

Postar um comentário