quarta-feira, 20 de maio de 2015

Lajedo do Marinho: as pedras que começam a mudar um Distrito na Paraíba

O distrito do Marinho, pertencente à cidade de Boqueirão, no Cariri paraibano, vive uma pequena ‘revolução’ com a coragem e empreendedorismo de alguns personagens que começam a fazer diferença na comunidade e nas suas próprias vidas. O pequeno distrito tem uma população de pouco mais de 600 pessoas, e vive do comércio basicamente é formado por um mercadinho, dois bares, uma casa de show e uma padaria, que também funciona como lanchonete.


Pensar em atrair turistas com tão pouco a oferecer não foi problema para um grupo de 40, 50 pessoas, que passaram a aproveitar a natureza que a mão de Deus tocou e a criatividade de um grupo conhecido como as Crocheteiras do Lajedo do Marinho. Sim, há ainda o empreendedorismo da família da Suilene Oliveira e dos pedreiro e auxiliar de padeiro, Luiz e João, entre tantos outros.

Antes de apresentarmos o Lajedo do Marinho, é importante falar das crocheteiras. Meia dúzia de mulheres que faziam crochê para matar o tempo e buscar, em vão, uma renda extra, passaram a ter assistência do Sebrae, conhecer melhor a arte do crochê e cores, muitas cores, e variedade das peças que hoje confeccionam. Em pouco tempo elas passaram a ser um grupo de 20 empreendedoras, que planejam criar uma associação para poder administrar mais o negócio, agora sim certamente a principal renda.

As crocheteiras produzem peças com linha de algodão e fazem dessas linhas algumas pequenas obras de arte, como mantas, tapetes, almofadas, bolsas e até guardanapos, tudo com muitas cores. As peças custam entre R$ 10 a R$ 2,5 mil - uma colcha que precisou de 15 mulheres para confeccionar durante 20 dias. Os produtos são vendidos na praça do distrito nos finais de semana, ou quando turistas visitam o Lajedo do Marinho, mas também já puderam ser compradas no Salão do Artesanato da Paraíba em João Pessoa e Campina Grande.

Uma das casas das crocheteiras decidiu ir mais além. Na mesma calçada onde residem algumas crocheteiras, está funcionando desde domingo passado a Pizzaria Pé de Serra. A professora, crocheteira e agora microempresária Suelene Oliveira juntou a família para administrar o empreendimento, que passou a ser parada obrigatória das pessoas que visitam o Lajedo do Marinho. No novo local, além da pizza, que já é famosa no distrito, são oferecidos café da manhã, almoço e jantar, com muita comida regional de dar água na boca.

Em um distrito que tem a economia formada por funcionários públicos municipais e aposentados em sua maioria, o Lajedo do Marinho abriu a perspectiva de uma série de novas opções de emprego e renda. O local paradisíaco tem se transformado em um ponto de encontro de adeptos de aventura e agora turismo de aventura. Após uma consultoria do Sebrae, feita pelo guia de turismo Tadeu Ferreira, o Lajedo foi transformado em uma área para camping.

O pedreiro Luiz e o auxiliar de padeiro João, são dois dos três condutores que levam os grupos até o Lajedo. É um percurso de pouco mais de 300 metros em subida, mas que, a cada passo, faz o coração dos mais emotivos disparar. O local é inenarrável. O camping pode ser curtido tanto de dia como à noite, horário que o torna muito mais incrível, excitante e surpreendente.

Os condutores explicam que as pessoas podem pagar uma taxa de R$ 25 por dia para a utilização das barracas, que ficam já montadas, ou apenas R$ 10 se os visitantes tiverem as barracas próprias. Chegando no local, além dos condutores levarem todos ao Lajedo do Marinho, que é iluminado e tem até internet, eles ficam no local até a saída de todos, para qualquer tipo de eventualidade. Há ainda um banheiro ecológico, ao ar livre, mas com porta e privada. Durante a noite, podem ser agendadas serestas com músicos locais, e são vendidos tira-gostos e bebidas como cerveja, refrigerante e água mineral.

Na noite deste sábado (16) para domingo (17) a temperatura baixou muito, chegando a 15 graus, segundo Luiz, que contou que foi a noite mais fria deste ano. No retorno ao distrito, as crocheteiras entram em cena novamente. Elas abrem as suas casas para que os campistas possam tomar banho e fazer o asseio pessoal.

As histórias de vida desses personagens foram conhecidas durante mais uma etapa do projeto Adventure Tour Paraíba, que já cruzou Lucena, Pilões, Areia, Bananeiras e que neste final de semana passou por Boqueirão. O evento é organizado pela PEC Eventos e conta com a parceria do Sebrae-PB e PBTur - Empresa Paraibana de Turismo. Na próxima semana, o Adventure chega a Cabaceiras, quando será lançado o Festival do Bode Rei. A Costa do Conde encerra a edição deste ano do evento
Fábio Cardoso, com fotos de Beth Ribeiro

Nenhum comentário:

Postar um comentário