sábado, 17 de outubro de 2015

Barra de São Miguel tem um novo partido independente e com autonomia que busca vez na política local e dá vez e voz aos seus correligionários: o PROS

O PROS se apresenta como um partido de inovações políticas e de debate inteligente. O partido é formado por jovens formados em diversas áreas e busca usar essa interdisciplinaridade a favor da melhoria do debate político e do desenvolvimento do pacato município do cariri paraibano. Este teve seu pontapé inicial dado liderado pelo jovem advogado Marcondes Pinto, especialista em Direito Público e pelo jovem engenheiro sanitarista e ambiental, doutorando em engenharia de materiais, Abílio Procópio, dois dos mais assíduos militantes da política local. 


O novo partido vem quebrando um tabu na cidade que há anos se mantém: levantar um trabalho de conscientização política e tentar oxigenar os quadros políticos do município com vistas não apenas à renovação, mas também à melhoria considerável destes.
  
Marcondes Pinto
Para o Presidente do PROS Marcondes Pinto não era mais possível esperar que dessem espaço político a renovação. Para construir um novo ambiente democrático em Barra de São Miguel é preciso luta árdua, pois as lideranças políticas do que ele costuma chamar de “velha guarda” não querem nem pretendem deixar fluir novas ideias e novas propostas para o município, deixando confuso se isso se deve à pratica coronelista ou ao pensamento retrógrado dos líderes.  

Segundo Marcondes Pinto, se houver o acomodamento da juventude e ela não se interessar pela política, haverá um forte empobrecimento no discurso eleitoral e isso é temeroso. Teremos sempre a desculpa de que em Barra de São Miguel só se faz política com assistencialismo e não tem lugar para um verdadeiro projeto de cidade. Fala ainda que Barra vive um momento difícil, pois há uma crise de lideranças na cidade, não há um líder estudantil nem uma liderança jovem promovendo o verdadeiro diálogo participativo que precisa com urgência ser feito. 

Nas cidades modernas há uma construtiva discussão sobre o OP (orçamento participativo), ou seja, o povo participando diretamente da administração pública, mantendo uma organizada e frequente interação com os líderes comunitários, tanto da zona urbana como da zona rural, para compreender quais são as demandas e necessidades prioritárias destas localidades. O orçamento participativo é segundo Marcondes Pinto uma ferramenta de importante sucesso para dar claridade às ações da administração, dando mais espaço ao cidadão para que ele seja ator direto de sua cidadania, pois Governar é acima de tudo eleger prioridades, e ninguém melhor do que o próprio povo para saber quais são as verdadeiras prioridades e demandas que necessitam em suas localidades. 

Abílio Procópio
O vice-presidente do PROS, Abílio, adiciona ao orçamento participativo citado pelo presidente a transparência das contas públicas com os chamados “portais da transparência”, deixando claro que esta é uma das ações mais eficazes no combate à corrupção e aos desvios de recursos públicos, bem como na melhoria da administração.  

Abílio também questiona a política socioambiental da cidade, pois acha que a mesma partiu na frente na captação de recursos para melhorias no saneamento básico e não fez valer o que tinha disponível, não executando ou executando de forma irresponsável e deficiente as obras. 

A má gestão de resíduos sólidos, a inexistência de coleta, tratamento e destinação adequada dos esgotos e águas pluviais, como também o abastecimento de água devem ser revistos com urgência se quisermos fazer aparecerem não apenas as melhorias infraestruturais da cidade, como também de saúde pública, já que estes fatores são diretamente influenciadores. É merecido destaque ao desmatamento desenfreado nas terras de Barra de São Miguel, na maioria propriedades privadas, pois além da desinformação, não há fiscalização adequada e o ambiente a nível local e como um todo sofrem com esta ação.

 É nesse caminho que percorre o PROS uma legenda que não cai no discurso fácil para agradar aqueles que querem o continuísmo e a comodidade política reinando no centro do cariri Sãomiguelense. O PROS quer de fato discutir a cidade e não apenas fazer críticas construtivas, mas ajudar fazendo propostas e construindo projetos inovadores para Barra de São Miguel. Não podemos fazer política gritando o novo apenas por slogan político, temos que colocar em pratica atitudes que muitas vezes são simples e funcionais, mas as ações arcaicas do Governo não permitem que aconteçam. 

Marcondes afirma ainda que junto com Abílio, um grande entusiasta com o progresso de nossa terra, farão o bom combate as práticas políticas que atrasam, sempre de forma respeitosa e democrática. Barra de São Miguel precisa mais do que um novo tempo, a Barra precisa de uma nova forma de ver e fazer a política. 
Ascom

Nenhum comentário:

Postar um comentário