sexta-feira, 11 de novembro de 2016

Decisão...

São muitas as dores das mulheres que não se conformam em ser simplesmente, donas de casa, sobretudo, para aquelas mulheres que estudaram e sonharam ter sucesso profissional, durante toda a sua vida, até alcançar o casamento; para aquelas que trabalharam antes de ter filhos, enfim, para a maioria das mulheres.

Mas, infelizmente, ainda há muitas coisas que prendem a mulher ao Lar, que pode-se dizer, são naturais do gênero, as suas responsabilidades com a casa, o zelo com a família, muitas mulheres são limitadas pelas suas crenças genéticas.

Sim, aquelas que nascem e crescem na sua mente, na maioria das vezes, por observar o cotidiano, da avó, da mãe, da vizinha, de outras mulheres que foram formadas apenas para o Lar.

Porém, a sociedade também castra os sonhos de muitas mulheres, ainda, pela cultura de que, trabalhar fora e muitas funções profissionais são somente para os homens.

Há tempos, muitos talentos da música, da arte, tiveram seus sonhos castrados pela ignorância da sociedade, em dizer que o violão, a sanfona, o pincel e outros instrumentos seriam armas de vagabundo. Daí o cara se “acanhava” em demonstrar a sua habilidade de tocar, de cantar, de dançar, de desenhar e relevar os seus talentos culturais, que é uma coisa de alma, são dons que fluem, principalmente, na alma do nordestino brasileiro.



Isso ocasionou muitas perdas culturais no Mundo desde a Grécia Antiga. Só os teimosos, os corajosos, desafiaram a sociedade e resistiram o bullying, os preconceitos, as críticas ofensivas e alcançaram o sucesso.

E vejam o mal que a sociedade não globalizada provoca, com atitudes assim. Se o cara não resiste às ações contrárias ao seu talento vindas da sociedade, ele fracassa. Mas, quando o cara faz sucesso correm de encontro a ele para aplaudir, pedir autógrafo e, atualmente, pedem para tirar selfie. É impressionante!

Bom, para desafiar essas ações da sociedade, eu trago neste texto uma sugestão moderna, que poderá ajudar a vida de muitas mulheres que sentem as dores de ficarem presas em casa, sem dinheiro para realizar os desejos dos seus filhos e seus próprios desejos, de comprar uma roupa nova, de sair para passear nas horas de folga, de ter o seu próprio carro e até de surpreender o marido em momentos especiais.

Para isso, ela deve ter a coragem de atropelar a indústria do contra, que fabrica o desestímulo de pessoas que acreditam em trabalhar a partir de casa, através da internet e ser bem pago por isso.

E aí, eu convido você mulher a tomar a DECISÃO de trabalhar no conforto da sua casa, em um espaço que você irá adaptar exclusivamente, para trabalhar, sem precisar se afastar do seu Lar, dos seus filhos, da sua Família, onde você poderá determinar seus horários de folga do trabalho e aproveitá-los para delegar a outras pessoas, as tarefas domésticas, administrando tudo no mesmo ambiente, sem nenhum prejuízo físico e mental.

Nos próximos textos, trarei os passos fundamentais, que farão com que essa decisão seja assertiva e você possa trabalhar no seu computador e no lugar que você escolher, sem a necessidade de se separar das pessoas que você mais ama...

Abraço!

Rita Bizerra – Licenciada em Letras pelas FIPs de PATOS/PB, onde se Especializou em Língua, Linguística e Literatura. Especializou-se em Jornalismo Político, Econômico e Assessoria de Imprensa, na Faisa, em João Pessoa e fez MBA em Gestão de Negócios pela Universidade Potiguar. Mestre em Comunicação Social e Marketing, pelas Faculdades do Rio, RJ. Foi Empresária na área Supermercadista por quinze anos e desde 2008 trabalha com jornalismo, escrevendo para “Brazilian Press” de New Jerssy/EUA, foi editora geral do Paraíba Urgente, por 3 anos. Atualmente é Colunista de alguns sites de notícias, Empreendedora Digital e escritora com 5 livros publicados.

Contatos: +55 83 9 8681 2319
https://www.facebook.com/figurapublicaritabizerra
https://www.facebook.com/ritabizerraescritora/

Nenhum comentário:

Postar um comentário