terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Diretor de TV censurado por FPF diz que foi humilhado em estádio de Cajazeiras e questiona: “É porque sou negro?”

O diretor da TV online Sertão da Paraíba, com sede em Cajazeiras, Wgleyson Souza lamentou nesta terça-feira (9), a forma truculenta com que foi tratado pelo delegado da Federação Paraibana de Futebol nesse domingo (7), no estádio Perpétuo Correia Lima (Perpetão), durante a transmissão do Campeonato Paraibano 2018. “Ser humano nenhum deveria ser tratado dessa forma”, lamentou o diretor, relembrando que já trabalhou em várias segmentos da imprensa e nunca havia passado por situação semelhante.
 
Wgleyson Souza contou que estava com sua esposa, que também faz parte da equipe, durante a abordagem “grosseira” e humilhante da FPF. “Chegou em tempo de derrubar a porta lá, no ‘bicão. Minha esposa chegou chorando em casa’”. revelou ele.

O diretor da TV online revelou que o representante da FPF chegou desligando os seus equipamentos. “Desligaram meu notebook da tomada, e eu fiquei com prejuízo de um hd”, contou Wgleyson.

Ele se disse muito triste com a situação vivida no Perpetão e indagou: “Estamos voltando a Ditadura Militar? Estamos retrocedendo? Que humilhação é essa?”.

Indignado, Wgleyson questionou: “É porque eu sou negro? É porque minha esposa também é negra?”

O diretor da TV relembrou que estava fazendo a transmissão autorizado pela direção do Atlético. “Deu autorização verbal, mas tenho testemunha”.

Para completar, Wgleyson confirmou presença na reunião com a FPF nessa quarta-feira (10), em João Pessoa e desabafou: “Quero dizer que sou negro, mas não sou bandido não”.

Diário Esportivo

Nenhum comentário:

Postar um comentário