segunda-feira, 4 de agosto de 2014

The Economist confirma queda na economia paraibana durante o governo RC

As principais conclusões do terceiro Ranking de Gestão dos Estados Brasileiros, divulgado pelo Centro de Liderança Pública (CLP). O levantamento, elaborado pela Economist Intelligence Unit (EIU), consultoria ligada ao grupo da revista The Economist, mostra pelo terceiro ano seguido que a Paraíba continua com apenas 33,3 pontos, percentual esse que está abaixo da média nacional no tocante a se tornar ambiente de negócios adequado para quem pretende atuar no setor produtivo brasileiro, que é 43 pontos.

Para o candidato da Coligação Renovação de Verdade, Vital do Rêgo (PMDB-PT), ao Governo do Estado esses dados mostram sem margem de dúvidas que a Paraíba continua sem uma política clara de desenvolvimento, permanecendo em 18º lugar, posição que ocupa desde 2011.

O resultado dessa compilação de relatórios jurídicos, publicações acadêmicas e de governos, sites de autoridades, bem como de organizações que acompanham o trabalho dos gestores públicos, mostra que a Paraíba não teve por parte do seu gestor um plano de desenvolvimento que viesse a atrair grandes investimentos. “Perdemos a Fiat, como diversas outras empresas, pois o gestor atual preferiu não criar no Estado um ambiente de negócios adequado para quem pretende atuar no setor produtivo brasileiro deixando Pernambuco Estado governador por seu aliado levar investimentos e empregos que poderiam estar sendo gerados na Paraíba”, disse Vital lembrando que disputa o Governo da Paraíba para ter a oportunidade de apresentar à Paraíba um Plano de Metas que contemple o desenvolvimento do estado não apenas para quatro anos, mas com reflexos diretos e indiretos até a próxima década. “O PMDB não quer preparar o Estado apenas para um mandato. O nosso propósito é ter um Plano que possa gerir um vetor de desenvolvimento contínuo”, disse.

Ele lembrou que os dois candidatos que já tiveram a oportunidade de governar o estado – o atual governador Ricardo Coutinho e o ex-governador e senador Cássio Cunha Lima – não pensaram desta forma, quando do exercício do cargo, porque se preocuparam mais em seus projetos políticos próprios. “Vocês são iguais, estiveram juntos durante três anos e meio, governaram juntos, se separaram pro circunstâncias pessoais e não pensaram a Paraíba como o PMDB pensa e propõe”.

Vital lamentou que o atual governo tenha causado tantos prejuízos ao Estado, citando como exemplo o abandono do Porto de Cabedelo e do projeto do Porto de Águas Profundas, apresentado pelo PMDB e que não teve sequência na gestão Ricardo Coutinho, mesmo com o governador tendo um aliado do PSB comandando o Ministério dos Portos. “O senhor deixou que a Paraíba ficasse a reboque de Pernambuco, governada pelo seu candidato a presidente”

Ao mesmo tempo, Vital lamentou que durante três anos e meio o senador Cássio, aliado de Ricardo, tenha ficado calado diante de todas as ações de desgoverno empreendidas. “Porque o senhor ficou calado quando o atual governo atacou a autonomia da UEPB? Porque não falou nada quando o governador demitiu impiedosamente 30 mil servidores públicos? Onde o senhor estava que não fez nada quando ele fechou 233 escolas?’, questionou Vital.

Ascom

Nenhum comentário:

Postar um comentário